as palavras estão aí, uma a uma, que dirá minh'alma . Feliz Vida Para meus leitores do Brasil, Estados Unidos, Canadá, França, Cingapura, Ucrânia, Argentina, China, Rússia, Espanha, Portugal, Alemanha, Dinamarca , Reino Unido, Eslovênia, Itália, Mexico e Croácia













quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Os quereres

Quisera beijar tudo que me alegra
e amar cada gota da minha felicidade
petrificar a lágrima do esquecimento
e ser livre na necessidade de continuar

quisera ser mera comédia escrita
a quatro mãos
e caminhar passo a passo sem espera

quisera esquecer o futuro e amar o passado
como desdita de quem parte
mas viver dia a dia é suficiente
não ser alegre nem triste
apenas poeta

quisera manter-se com a alma jovem
que sonha a alegria da busca infinda
e arranhar o corpo languido nas pedras
da procura

quisera acordar e ser milhões
e sorrir em busca da esperança

quisera
quisera

Andréa Katia

Saudade não é desejo
saudade é espaço
preenchido no passado

e de tão completo que ficou
que nada substitui a dor
de contemplar o medo de voltar

depois das histórias vividas
saudade passa a ser distancia
efêmera que não se toca com as mãos
mas que se sente com o coração

saudade é espaço
preenchido no passado
e que a alma insana
não por desejo de voltas
mas por nostalgia
revive sem desejo da volta

saudade machuca
mas retorna o espirito cativo
da vida vivida com intensidade
de um poeta que espera
a utopia do horizonte
do ontem

saudade tem nome
tem sobrenomes que esconde
o segredo da felicidade vitalicia
de ter passado
e uma janela
na volta da lembrança
do amor de uma amizade
que superou o nexo
do plexo  e do complexo
binal de ser homem e mulher

saudade é espaço
preenchido no passado.

idilio

terça-feira, 5 de agosto de 2014

Rosa Flor de Oliveira


Teu sorriso morto
e esse corpo de menina flor
e o prazer que escondes atrás do vestido

a flor que exala desejo
e o beija flor atrevido
relembra teu grito atrevido
anjo do gosto da lira da tarde

teu sorriso morto
e esse gosto de menina flor
e o prazer que explode
atrás da língua

a flor que embalas
entre as tardes e lírios
e o beijo na orquídea pequenina
relembra o mínimo infinito

Rosa flor de oliveira

quarta-feira, 11 de junho de 2014

amores da rua

Amores a esmo
externos e mais eternos
que outros amores
secretos

amores reféns
tão curtos
que vivem aquém
do medo
de se eternizarem
no além

amor que vai
amor que não parte
amor que vem
amores
que descansam
que espantam
e encantam
quando vem

 idilio

quarta-feira, 28 de maio de 2014

Vida breve

A tua presença faz
Olvidar quem sou
desejando sugar teu cheiro
para dentro
em mim
como se fosse  alma
a vivificar um templo
morto

Sentir teu gosto
em um átimo
foi prazer divino
mesmo que proibido
o tempo da volta
mesmo que unilateral
o lábio que beija o púlpito
do teu consentimento

desejo sim
mas que tempos
que costumes
eles amam
nós
desejamos

 idilio

segunda-feira, 5 de maio de 2014

Ausente



Como externar o que se sente
se às vezes a verdade mente
e de tanto que se sente
que por palavras não se ressente
o que se mente

Por vezes
e direi apenas para os que sentem
é bem mais suave ser ausente

como viver  e não ser alegre
nem triste
ser apenas demente
refém mas nunca descrente

Por vezes
e direi apenas uma vez
ausente

idilio